novas


. Intervalo-Escola: intervalo em curso – dia 29/03, lançamento da publicação relativa aos processos vividos pelo grupo de trabalho ao longo das imersões no estado de São Paulo e do Amazonas. Intervalo-Escola está na lista de projetos pré-selecionados para o Prêmio Select de Arte e Educação.


. Explode! Residency e Ataque no Cidade Queer: lançamento da publicação impressa e do minidocumentário que compreende a curadoria dessa residência internacional e de uma batalha de dança, idealizada e realizada por Cláudio Bueno e João Simões, em colaboração com Lanchonete.org, Musagetes e grupo colaboradores

. Explode na mostra Motumbá: memórias e existências negras. Cláudio Bueno e João Simões realizaram, no Sesc Belenzinho, a curadoria do recorte LGBTQ+ da mostra, entre os meses de dezembro de 2016 e março de 2017.


. Explode! Umzabalazo: no mês de abril a plataforma Explode trará ao Brasil a performer UMLILO (África do Sul), que apresentará seu show no Sesc Belenzinho (28) e Itaquera (29), além de coordenar um workshop na unidade Santana entre 1 e 5 de maio – inscreva-se. O workshop buscará fomentar o fortalecimento de uma luta global desde uma perspectiva do corpo e suas dimensões estética, política e social.

Relato crítico: À Luz dos 30 anos - Videobrasil
(clique aqui para ler na íntegra)

Resumo

Este relato contempla a escuta de 3 mesas1 de debate que ocorreram durante o 18o Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, sob o "foco 8" dos programas públicos, denominado: "À Luz dos 30 anos".

A primeira mesa, intitulada "Videobrasil + Expoprojeção + Zanini", contou com a participação de Aracy Amaral, Cacilda Teixeira da Costa e Roberto Moreira, além da mediação de Eduardo de Jesus. Nesta ocasião os palestrantes abordaram marcos históricos para o surgimento da videoarte no Brasil. Já o segundo encontro "Exposições em Contexto", se propunha a debater as exposições de arte das três últimas décadas e suas relações com o Festival Videobrasil. Participaram desta mesa as curadoras e pesquisadoras Ana Maria Maia e Daniela Labra, com a mediação de Ana Pato. Por fim, a terceira e última mesa, intitulada "30 anos: memórias e atualizações", analisou os grandes ciclos de transformação do festival e suas relações com o chamado eixo sul geopolítico. Contou com as falas de Solange Farkas, Moacir dos Anjos, Eduardo de Jesus e Gabriel Priolli Netto. A mediação foi de Teté Martinho.

A seguir, as ideias em discussão nestas mesas serão concatenadas em uma nova conversa, um novo arranjo resumido das falas, sem a obrigatoriedade de que tenham sido realizadas juntas e na mesma sequência demonstrada acima.