novas


. O Grupo Inteiro (Carol Tonetti, Cláudio Bueno, Ligia Nobre e Vitor Cesar). Junto desse grupo tenho realizado uma série de colaborações para diversas instituições culturais, como MASP, Tomie Ohtake, Sesc e outras. Últimas exposições: Playgrounds 2016, MASP/Sesc Interlagos; Campos de Preposições – Sesc Ipiranga; espacialização da obra Restauro, do artista Jorge Menna Barreto, para a 32a Bienal de Artes de São Paulo.

. Intervalo em curso, parte do projeto Intervalo-Escola. Trata-se de uma escola experimental em/a partir das artes que acontece entre SP e AM entre 2016/2017. Contemplado pela 12a edição do Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais.
Com: Tainá Azeredo

. Explode! Residency, cocuradoria com João Simões para residência internacional na zona leste de São Paulo, parte da plataforma Queer City, contará com presenças como do grupo Ultra-red de NYC.

. Lab Artes Visuais Porto Iracema: orientação das pesquisas dos artistas Cecília Andrade e Allan Diniz sobre a geração de artistas dos anos 80 em Fortaleza até os dias atuais, sob a perspectiva das transformações na paisagem da cidade e os modos de praticá-la, imaginá-la, etc.

. Paço Comunidade na Ocupação Cambridge: cocuradoria da 5a edição do projeto, com Priscila Arantes. Artista convidada: Agustina Comas + Intervalo Escola

Que lugar é esste? Dissertação de mestrado realizada no depto. de Artes Plásticas da ECA-USP (clique para baixar o PDF)

Resumo

Que Lugar é Esste? é uma pesquisa teórico-prática que verifica aspectos do lugar na arte e seus desdobramentos críticos no espaço social conectado. Os lugares são colocados em relação (entre lugares, dentro e fora). São permeados pelos fluxos informacionais e tensionados por conflitos que reúnem: abertura e fechamento, especificidade e multiplicidade, fisicalidade e virtualidade. A partir do cruzamento de diversas formas de compreensão do lugar na arte, três situações são analisadas sob o ponto de vista do lugar conectado. São elas: a residência, os deslocamentos e os aqui chamados lugares enunciados. O trabalho também compreende uma parte experimental composta pelos projetos artísticos: Casa Aberta, The Lovers, Estrelas Cadentes e O Transporte #1, todos desenvolvidos em 2009. São observadas novas formas de perceber e se relacionar com esstes lugares, entre a demasiada presença do outro e a solidão, as territorializações e desterritorializações, as desestabilizações e o controle, as negociações e transgressões. Perguntar que lugar é esste, é sugerir um lugar difuso, de difícil circunscrição, que pode não estar somente aqui, nem lá, mas no lugar entre um e outro, no vácuo da conexão entre ambos. É também o modo como indagamos sobre o lugar desconhecido, principalmente em situações de trânsito.