Paço Comunidade na Ocupação Cambridge
Curadoria: Cláudio Bueno e Priscila Arantes

Período: Set a Dez, 2016
Página do evento:
http://pacodasartes.org.br/eventos-e-acoes-de-formacao/pacocomunidadecambridge.aspx

Paço das Artes realiza 5º Paço Comunidade com moradores do Hotel Cambridge

O Paço das Artes --instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo-- realiza a 5ª edição do projeto Paço Comunidade a partir de setembro de 2016.

O programa Paço Comunidade foi concebido por Priscila Arantes (diretora artística e curadora do Paço das Artes), em 2013, com o objetivo de ampliar o diálogo do Paço das Artes com seu entorno, quando se localizava na Cidade Universitária. Agora, na busca pela sede definitiva, a instituição amplia suas ações e atua junto às 170 famílias da Ocupação do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC), que vivem no antigo hotel Cambridge (Av. 9 de julho, 216). A curadoria é de Claudio Bueno e Priscila Arantes.

O Paço das Artes irá promover, durante quase três meses, duas oficinas semanais de modelagem e construção de roupas, utilizando como matéria-prima o excedente da indústria têxtil. As oficinas serão ministradas pela consultora de moda e estilista Agustina Comas com o projeto Intervalo-Escola. Ao longo dos encontros, ocorrerão debates sobre essas construções, ancorados pelo conceito de roupa como abrigo. “Tal conceito abrirá o campo de pesquisa em torno das arquiteturas provisórias, das migrações, do design nômade e daqueles artistas que problematizam a intersecção entre corpo e moradia”, explicam os curadores.

No dia 15 de dezembro, às 20h, ocorre um desfile com as peças criadas durantes as oficinas na Ocupação do Hotel Cambridge.

Sobre as oficinas

Por meio do método de upcycling, Agustina Comas propõe desenvolver peças de roupa que utilizam o excedente da indústria têxtil e sobras de tecidos dispensadas diariamente pelas confecções, junto com costureiras/costureiros da ocupação. Assim, peças “velhas” são recombinadas, reconstruídas e transformadas para voltar à circulação com novo valor agregado.

Em conjunto com o projeto Intervalo-Escola, da dupla Claudio Bueno e Tainá Azeredo, serão propostas ações e modos de aprendizagem em artes e moda, que visam a sustentabilidade, a colaboração, a autonomia e a continuidade da proposta pelos participantes.

Mesas-redondas

Além disso, o Paço das Artes realizará mesas-redondas abertas ao público. O primeiro debate, que terá como tema "Paço Comunidade e Intervalo-Escola: experiências possíveis entre arte e comunidades", ocorre no dia 8/10, às 10h30, com a participação de Claudio Bueno, Mônica Nador, Priscila Arantes e Tainá Azeredo.

No dia 15/10, ocorre a mesa-redonda "Projetos sociais em moda" com Chiara Gadaleta e Suzana Avelar.

Sobre o Paço Comunidade

Dentro da perspectiva de repensar o papel institucional do Paço das Artes, procurando criar dispositivos mais relacionais com a comunidade do entorno da instituição, Priscila Arantes (diretora artística e curadora do Paço das Artes) concebeu, em 2013, o Paço Comunidade. "O projeto curatorial nasceu de uma percepção fundamental: a de que a maioria do público do Paço das Artes era de classe média e alta, e de que a população do entorno do Paço das Artes, especialmente os moradores da comunidade São Remo, não conhecia e não visitava a instituição", diz.

A primeira edição do projeto ocorreu em 2013, a partir de oficinas de estêncil e pintura ministradas pelo artista Anderson Rei. Assuntos como intervenção urbana e espaço público foram abordados, e as ações desenvolvidas na oficina culminaram em uma intervenção colaborativa no Jardim São Remo, mais especialmente em um muro que separa o jardim São Remo da Cidade Universitária.

No primeiro semestre de 2014, foi a vez do artista, professor e arte-educador Alberto Tembo. Ao trabalhar com o tema “Obra-jogo de construção, uma instalação artística coletiva”, Tembo e os participantes, a partir de inúmeras oficinas, criaram coletivamente objetos tridimensionais, como brinquedos, esculturas e protótipos de um parquinho que foi criado coletivamente na comunidade.

Para a terceira versão do Paço Comunidade, Priscila Arantes convidou a artista Mônica Nador. Durante seis meses, a artista e os integrantes do JAMAC, com o apoio da equipe do Paço das Artes, desenvolveram, junto aos moradores da São Remo, oficinas de estêncil e estamparia. Posteriormente, os panos e as estamparias ganharam outra dimensão conceitual, sendo transformadas em roupas pelo designer têxtil Renato Imbroisi, convidado por Mônica Nador a participar do projeto. Além das roupas serem feitas com as estampas desenvolvidas pelas participantes, o modelo de cada roupa era uma réplica da vestimenta preferida de cada uma das participantes da oficina.

O resultado dessas oficinas – as estamparias bem como as roupas desenvolvidas – foi então exposto no Paço das Artes (av. da Universidade 1 - Cidade Universitária), na mostra Mônica Nador + JAMAC + Paço Comunidade, que ficou em cartaz de 25 de janeiro a 25 de março de 2015 (assista aqui ao vídeo sobre o processo).

A quarta edição contou com a participação do coletivo SHN (formado por Eduardo Saretta e Haroldo Paranhos), do artista Izu e das arte/educadoras – Karin Lima e Camila Krantz. As ações ocorreram no Circo Escola, localizado na Vila São Remo, e no Paço das Artes, em três etapas ao longo de 2015.

Sobre a Ocupação

O antigo Hotel Cambridge, localizado na região central de São Paulo, fechou as portas em 2004. Após oito anos sem atividades, o edifício foi ocupado em 23 de novembro de 2012 pelo Movimento Sem Teto do Centro (MSTC) e hoje abriga 170 famílias. As famílias realizaram reformas e retiraram toneladas de lixo do edifício para adequar os 119 apartamentos para a moradia.

A Ocupação Hotel Cambridge é gerida e mantida por seus moradores e organiza diversas iniciativas para garantir que as famílias dos trabalhadores tenham acesso a moradia digna, educação e cultura.

Sobre a ministrante

Agustina Comas, 1980, é uruguaia, formada em Design Têxtil/Moda pela Escuela Universitaria Centro de Diseño de Montevideo e vive em São Paulo. Desde 2008, trabalha com upcycling, com o método de criação e produção desenvolvido no projeto IN.USE, em parceria com Ana Inés Piriz. É fundadora da marca COMAS, voltada à produção de peças femininas que usam como matéria-prima camisas masculinas, sobras da indústria têxtil e de confecção. É professora da disciplina Design e Sustentabilidade no IED São Paulo e atua como estilista e consultora para o grupo industrial têxtil Fides.

Entre 2008 e 2013, foi estilista da Daslu Homem integrando a equipe da Lu Pimenta. Entre 2004 e 2008, trabalhou com o designer Jum Nakao em diferentes projetos, dentre eles, o desfile “A costura do invisível”, apresentado em julho de 2004 no SPFW e como estilista da linha masculina da marca Guga Kuerten, coordenada pelo designer.

 
http://buenozdiaz.net/files/gimgs/th-50__MG_7940.jpg

foto: Agustina Comas